quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Classificaçaõ do Aproveitamento Hidroagrícola da Cova da Beira de interesse regional

Resolução do Conselho de Ministros n.º 75/2009
Presidência do Conselho de Ministros
Classifica como obra do grupo II o aproveitamento hidroagrícola da Cova da Beira, localizado no concelho do Sabugal, do distrito da Guarda, e nos concelhos de Penamacor, Belmonte, Covilhã e Fundão, do distrito de Castelo Branco

Procura dos produtos florestais começará a aumentar em 2010, conclui estudo

A procura de produtos florestais deverá começar a aumentar no próximo ano, mas uma recuperação significativa demorará mais tempo, conclui um estudo, num momento em que o consumo de papel na Europa e nos EUA cai 16%.


Da autoria do instituto de investigação finlandês Pellervo Economic, o estudo foi elaborado em Maio e prevê a "retoma da economia mundial" e, como tal, também da procura da indústria papeleira, "ainda que de forma ligeira, com poucos impactos na produção".


"Em 2010, a situação da indústria florestal não será muito melhor. Apesar de alguma recuperação económica, o volume de madeira usada será pouco superior no próximo ano", frisa o estudo.


A indústria papeleira europeia e norte-americana registou uma marcada recessão no nível de actividade económica, com fortes reduções nos níveis de emprego, estando a ser afectada pela tendência global de queda na procura de pasta e também do papel.


Só no primeiro semestre deste ano, o consumo de papel caiu na Europa e nos EUA 16%, face a igual período do ano anterior.


O primeiro semestre de 2009 continuou a registar o impacto do processo de encerramento de capacidades produtivas, o que, segundo o estudo, acabou por beneficiar os mercados europeus no final de 2008.


Segundo dados da Portucel, no que diz respeito ao segmento de qualidade, as vendas de produtos 'Premium' mantiveram nos mercados europeus um peso superior a dois terços do volume vendido, "o que é particularmente relevante na actual conjuntura económica".




No mercado de pasta de papel registou-se uma diminuição dos níveis da procura nos mercados europeus, tendo o consumo de pasta recuado 4,5% no segundo trimestre de 2009, reflexo directo do abrandamento da actividade em todos os segmentos e mercados.


De destacar o mercado chinês que, entre os principais consumidores, tem mantido um desempenho superior ao de 2008, o que sustentou um crescimento global das entregas dos produtores de madeira exóticas em cerca de 10%.


No primeiro semestre deste ano, pelos menos cinco milhões de toneladas de produção foram retiradas do mercado, correspondentes a cerca de 10% da capacidade instalada no final de 2008, o que juntamente com o bom desempenho do mercado chinês, contribuiu "para a diminuição acentuada do nível anormalmente elevado de reservas que se verificava no final do primeiro trimestre", de acordo com dados da Portucel.
2009-08-26 10:20
Oje

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Curso de Especialização Tecnológica em HERBALISMO

Última chamada: Inscrições abertas até 31 de Agosto para o

Curso de Especialização Tecnológica em HERBALISMO

O CET é uma formação pós-secundária não superior que visa conferir qualificação profissional do nível 4.

O CET em Herbalismo tem sido desenvolvido sob uma consciente cooperação entre a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Guarda e a Escola de Herbalismo da Associação Luzku, resultando num curso de carácter único. O curso consiste em alguns módulos de carácter geral e científico realizadas na ESTG e uma série de módulos directamente relacionados com as plantas medicinais realizados na Escola de Herbalismo na Quinta Dionísio.

Início do curso: 05 de Outubro 2009

Final do Curso: 01 de Abril 2011

O curso tem um total de 1420 horas das quais:

270 são leccionadas na ESTG

730 são leccionadas na Escola De Herbalismo na Quinta Dionísio

420 correspondem a períodos de estágio, realizadas como formação em contexto de trabalho em entidades e empresas selecionadas

Em anexo encontra-se um folheto informativo sobre o curso.

Coordenação do Curso: Pedro Cardão (ESTG)

Mirjam Olsthoorn (Associação Luzku).


Um Técnico de Herbalismo é um técnico qualificado em Plantas Aromáticas e Medicinais (PAM) com conhecimentos múltiplos sobre as plantas benéficas para o bem-estar, com uma equilibrada base teórica e prática para:

- cultivar as Plantas Aromáticas e Medicinais;

- transformar as Plantas Aromáticas e Medicinais em produtos ervanários;

- proceder à comercialização de plantas ou produtos transformados;

- realizar consultorias informativas e de bem-estar e acompanhamento sequente.

A última década tem demonstrado um crescimento expansivo do interesse público no cuidado de saúde natural baseado em princípios holísticos. O Herbalismo é um dos ramos mais antigos e amplamente implementados dentro das práticas de saúde natural.

Um Técnico de Herbalismo é um representante de uma profissão muito antiga, transformada num novo formato. O Técnico de Herbalismo contemporâneo é um especialista em plantas medicinais e aromáticas com conhecimentos múltiplos sobre as plantas benevolentes para a saúde. A profissão de Técnico de Herbalismo abrange um vasto leque de competências relacionadas: desde a determinação e a botânica, a produção, a colheita e a transformação, a conservação e o controlo de qualidade, a aplicação, a comercialização e a legislação.

Em toda a Europa existem numerosos cursos em assuntos relacionados com o Herbalismo, habitualmente oferecidos por centros de saúde natural e variando em objectivos, conteúdo e duração. Alcançar o grau de Técnicos de Herbalismo profissional tem sido virtualmente impossível em quase toda a CE. Como resultado as pessoas formam-se como ‘especialistas’ não qualificados. Isto reflecte a grande necessidade de Técnicos de Herbalismo formados a desempenhar a sua profissão segundo normas de qualidade regularizadas ao nível governamental; uma necessidade já há anos verificada por especialistas envolvidos na formação e na educação em Herbalismo, bem como por médicos e políticos. O desenvolvimento de um programa educacional para uma qualificação profissional de nível 4 é necessário ao nível Europeu. Em resposta a essa necessidade o CET em Herbalismo - o segundo curso oficialmente acreditado em Europa - oferecerá um curso de qualidade num formato que pode ser transferido ao nível nacional e internacional.


Para informações sobre inscrições, logísticas e Acção Social:

Prof. PEDRO CARDÃO

Escola Superior de Tecnologia e Gestão

Instituto Politécnico da Guarda

Av. Dr. Fransisco Sá Carneiro, 50

6300-559 Guarda

Tel. 271-220120

subdirector.estg@ipg.pt

pcardao@ipg.pt

Para informações sobre o procedimento e o conteúdo do curso:

MIRJAM OLSTHOORN

Luzku-Fuzku - Comunidade Internacional de Terapias Naturais e Artísticas
Trinta
6300-225 Guarda
Tel. 271 230015
Mob. 96 3985049
luzkufuzku@gmail.com
www.luzkufuzku.home.sapo.pt

RuralBio – Feira de Agricultura Biológica

“As Plantas Aromáticas e Medicinais assumiram ao longo dos tempos um protagonismo invulgar na tradição Alentejana, a elas aliam-se a pluralidade das pigmentações, a profusão de odores intensos, as copiosas aplicações tão unanimemente apreciadas. Ilustram os campos e conferem-lhe uma identidade única. Quando produzidas em Modo Biológico promovem a biodiversidade e contribuem para um Alentejo mais equilibrado, competitivo e harmonioso.

Com o intuito da promoção deste recurso a Associação de Defesa do Património de Mértola, organiza em colaboração com a Câmara Municipal de Beja a RuralBio 2009 – IV Feira de Agricultura Biológica, que irá decorrer de 23 a 25 de Outubro no recinto do Parque de Feiras Exposições de Beja cujo tema será os cosméticos.

O evento contará com momentos de animação, ateliers de obtenção de óleos essenciais, velas de cheiros, papel perfumado, obtenção de tisanas e perfumes, sessões de aromaterapia, oficinas de gastronomia, actividades de Educação Ambiental, workshops e venda de produtos obtidos a partir de Plantas Aromáticas e Medicinais certificadas em Modo Biológico. “

Muito obrigada

Cristina Caro

Técnica do Gabinete de Extensão Rural e Ambiente

Associação de Defesa do Património de Mértola

Largo Vasco da Gama, s/n

7750-328 Mértola

Portugal

Tel.: +351 286 610 000

Fax: +351 286 610 001

www.adpm.pt


Festival Sons 09 - Janeiro de Cima - 4 a 6 Setembro‏

Um rio convida estendendo o ar fresco que cativa nas tardes quentes, um programa recheado e aberto a imensas caras alegres no regaço de uma serra que acolhe. Será assim a segunda edição do Sons em Janeiro de Cima, aldeia-casa no Fundão.

Primeira pedra de uma iniciativa que se estenderá nos anos e que nos levará numa viagem incrivel pelos recantos das aldeias do xisto, o Sons 09 será o momento de retomar memórias de 2008 para uns e excusa soberba para arrecadar recordações para todos. Setembro receberá melodias de sempre quando o primeiro fim de semana chegar.

Site com informação detalhada: sons09.rodobalho.com

Uma organização: Tradballs, Rodobalho, Enluarados e rede de aldeias do Xisto

sons09_620_01.

Programa

(Sujeito a alterações)


Sexta - 4 de Set


21h - Projecção de filme
22h - Contos na barca - Marco Luna
23h - Workshop de danças (Bourrées) - Alexandre Matias
24h - Concerto de VENTOS DA LÍRIA (Praia Fluvial)
1.30 - Jam session e Dj Folk (Praia Fluvial)

Sábado - 5 Set:

9h - Visita e raid fotográfico á Lavaria das Minas da Panasqueira
10h - Workshop de cozedura de pão em forno de Lenha- inscrição prévia e limitada (Forno de Xisto - Restaurante Fiado)
11h - Passeios de carroça de burro (actividade paga)
almoço

14h - Workshop de artesanato em materiais reciclados - Agub (Praia fluvial)
14h- Workshop de confecção de linho em teares tradicionais (Casa das tecedeiras)
15.30h- PIMPIDU - Workshop de expressão plástica e pinturas faciais para miúdos e graúdos (Praia Fluvial) -

17h - Corrida de barcas tradicionais na Praia Fluvial da Lavadeira - inscrição prévia
18.30h - Workshop de danças tradicionais (Viras) - Alexandre Matias
jantar

21h - Tertúlia XIS-Tema - Apresentação do Projecto Raiz d'Aldeia e debate aberto sobre actividades de cultura tradicional na Rede de Aldeias do Xisto
22h - Concerto de DEU LA DEU
23h - Contos na barca - Marco Luna
24h - Concerto de FOL&AR
1.30 - Jam session e Dj Folk

Domingo - 6 Set

9h - Visita e raid fotográfico
10h - Workshop de construção em Xisto (inicio de construção em xisto de um muro que será construído, lentamente, todos os anos, pelos participantes do Festival Sons)
11h - Passeios de carroça de burro (actividade paga)
almoço

14h - Workshop de artesanato em materiais reciclado - Agub (Praia Fluvial)
15.30 - Workshop de artesanato em Fitas de orelos (típicas da região)
17h - Workshop de danças tradicionais europeias (Quadrilhas) - Alexandre Matias
18.30 - Concerto dos CABAZ (Praia Fluvial)

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Agricultura: INE divulgou ontem dados sobre a produção agrícola



A produção dos cereais , a par do sector do leite, é uma área onde as dificuldades financeiras dos produtores mais se fazem sentir
20 Agosto 2009 - 00h30

Agricultura: INE divulgou ontem dados sobre a produção agrícola

25 por cento em risco de falência

"Estamos a viver uma crise dramática, agravada pela falta de disponibilização das ajudas." O cenário é traçado por João Machado, líder da Confederação dos Agricultores Portugueses (CAP), que acredita que nos próximos meses os abandonos da actividade agrícola vão "aumentar exponencialmente".

"Estimamos que pelo menos 25% dos agricultores vão à falência", admite ao CM o responsável, explicando que, apesar de não haver estatísticas recentes sobre o número de pessoas na agricultura, a percentagem se poderá traduzir "em dezenas de milhares de agricultores".

O presidente da CAP garante que o problema afecta a generalidade dos produtos, mas assume que o "sector do leite é o mais afectado". A explicação para as dificuldades financeiras que atravessam os produtores é simples: a produção sai mais cara e as receitas das vendas caem. "Temos uma redução dos preços pagos aos produtores da ordem dos 40 a 50% nos últimos dois anos, enquanto os custos de produção aumentaram, em alguns casos, para os 100%.

Há dois anos, o leite era vendido a 55 cêntimos o litro, quando hoje os produtores não recebem mais de 25 cêntimos, menos de metade. O mesmo acontece com o milho. Há dois anos, o preço da tonelada chegava aos 240 euros , quando hoje se situa apenas nos 145 euros. A situação é mais grave em sectores como o da cortiça, onde "já nem sequer existem propostas de compra desta matéria-prima". A CAP garante que a soma dos proveitos com as ajudas comunitárias já não é suficiente para pagar os custos de produção.

Além de uma maior rapidez na disponibilização dos apoios comunitários (ver caixa), João Machado afirma serem necessárias ajudas nacionais. "Falamos de linhas de crédito como as que já existem no Ministério da Economia, da reposição da electricidade verde que foi extinta há quatro anos e o fim da aplicação da taxa de recursos hídricos, que Espanha já não cobra", explica o líder da CAP.

AGRICULTORES PORTUGUESES DISCRIMINADOS

Para contrariar a crise, a Comissão Europeia autorizou todos os Estados-membros a antecipar as ajudas habitualmente pagas em Dezembro para o mês de Outubro, revelou ontem a CAP. Ainda assim, a confederação teme que os apoios não cheguem mais cedo aos agricultores portugueses, dada a "incapacidade de resposta dos serviços" do Ministério da Agricultura.

"Os agricultores portugueses vão ficar discriminados", atira João Machado. Isto porque, segundo o dirigente da CAP, os serviços do Ministério estão ainda a comprovar o pagamento das ajudas relativas ao ano anterior. "A União Europeia não vai estar disponível para pagar agora sem que o Ministério faça antes esse levantamento." Por esse motivo, a CAP avança que os agricultores estão agora "apreensivos" face à capacidade de cumprimento dos prazos.

CEREAIS CAEM E A VINHA REGISTA SUBIDA LIGEIRA

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram uma quebra na produção de cereais, que, no trigo mole, atingiu os 40%. Houve "quebras em todas as espécies", diz o INE, aliada a uma menor área cultivada. João Machado, da CAP, explica que, "não sendo uma cultura anual, o aumento dos custos de produção levou muitos agricultores a não semear". "Há uma quebra significativa da área semeada, da ordem dos 170 mil hectares, em relação há dois anos."

Nas uvas para vinho, o INE estima uma subida na produtividade de 5%, acompanhada de uma boa "qualidade das massas vínicas".

PORMENORES

CRESCIMENTO

Os pomares apresentam-se como uma das áreas mais produtivas. A produção de pereiras e macieiras deverá crescer 5% e a de amendoeiras 10%.

ABANDONO

João Machado, da CAP, admite que o previsível abandono da actividade agrícola pode levar à queda da produção nos pomares.

DADOS OFICIAIS

O último recenseamento geral da Agricultura fez-se em 99 pelo INE. Há uns anos estimava-se haver 400 mil agricultores no País. Diana Ramos

In Correio da Manha


Deixo aqui a opinião pessoal sobre este assunto:


Acho que já é tempo de mudança mas ninguém quer fazer essa mudança, dado que se habituaram a ter ajuda para tudo e mais alguma coisa, seca, inundações entre outras que inventam todos os anos.

Agricultura tem que ser auto sustentável nada de grandes produções, mas sim produção em escala, aqui pelo interior acabaram com as salas de ordenha comunitária, os agricultores acabaram por vender as vacas leiteiras e arranjar vacas de carne, e óbvio que o rendimento não é o mesmo, existiam famílias que viviam do dinheiro que faziam da venda do leite, neste momento tiveram que emigrar ou fazer outra coisa, por falta de rendimento, e os custos de produção neste tipo de produção eram mínimos, uma vez que pastavam durante todo o ano nos lameiros que conseguiam sustentar uma vaca ou duas consoante a dimensão do mesmo.

Este é o exemplo mais comum, dado que a polémica é em torno da produção de leite e custos de produção que dispararam.

Mas poderia referir outros exemplos , em que o abandono de pequena escala para produção em grande escala só beneficia alguns.

No antigo quadro comunitário de apoios, qualquer projecto era aprovado de pequeno investimento e compra de um tractor, para pessoas que não fazem vida da agricultura, só são agricultores ao fim de semana e mal, e os jovens empresários agrícolas que se conseguiram instalar na região, neste momento queria se candidatar a projectos de compra de tractor e não podem dizendo que já há tractores a mais, pudera não há fiscalização nenhuma.


E por aqui me fico......



4ª Reunião Ibérica de Pastagens e Forragens (SPPF-SEEP) 2010‏

A Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens (SPPF) fundada em 1979, tem sede no INIA-Elvas, e conta, actualmente, com cerca de 600 associados (técnicos, agricultores, investigadores, estudantes, etc.). É uma associação pública sem fins lucrativos e tem como principal objectivo a investigação, a reflexão e a divulgação técnico - científica relativas às pastagens e forragens.

Para concretizar este objectivo global desenvolve um conjunto de actividades em que se destaca a organização anual da Reunião de Primavera da SPPF, onde se privilegia, a discussão, o debate e a divulgação de temas (apresentados em conferências e posters) e que envolve os principais elementos da comunidade científica e técnica a nível nacional e internacional que têm vindo a desenvolver trabalhos no domínio das pastagens e forragens.

A Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens (SPPF) e a “Sociedad Española para el Estudio de los Pastos” (SEEP) vão organizar em 2010, em Miranda do Douro (Portugal) e Zamora (Espanha), de 3 a 6 de Maio, a 4ª Reunião Ibérica de Pastagens e Forragens (XXXI Reunião de Primavera da SPPF) subordinada ao tema “Pastagens – Fonte Natural de Energia”.

Para que este evento seja um sucesso é importante uma ampla divulgação, pelo que solicitamos a V. Ex.ª que divulgue a 4ª Reunião Ibérica de Pastagens e Forragens (XXXI Reunião de Primavera da SPPF) da forma que achar mais conveniente.

Mais informações em www.sppf.pt.

Agradecendo, desde já, a atenção dispensada, apresentamos a V. Ex.ª os nossos melhores cumprimentos.

Com os melhores cumprimentos.

Em nome da Direcção da SPPF

Teresa Carita

Secretária Técnica da SPPF

A/c INIA-Elvas

Apartado 6

735-951 Elvas, Portugal

Telf. +351 268 637 740

Fax +351 268 629 295

E-mail: teresacarita@sppf.pt

www.sppf.pt

Debate "O Papel das Comunidades e Associações Locais na Conservação da Natureza"‏

Vimos por este meio convidar V. Ex.ª a participar numa acção que
visa debater "O Papel das Comunidades e Associações Locais na
Conservação da Natureza".

A acção será realizada no Auditório da Caixa Agrícola de S.
Bartolomeu de Messines, no dia 26 de Agosto de 2009, pelas 21 horas e
conta com a presença, como orador, do Dr. Luís Palma.

Não falte e divulgue esta acção!

Obrigada

ORGANIZAÇÃO:

VIVER SERRA - Associação para a Protecção e o Desenvolvimento das
Serras do Barlavento Algarvio

CEAI - Centro de Estudos da Avifauna Ibérica

quinta-feira, 13 de agosto de 2009